Os Protagonistas SB 50 - Carolina Panthers

 

Ataque

Favorito ao prêmio de MVP da temporada 2015, Cam Newton (QB) fez um campeonato exuberante. Não mais visto como apenas um Quarterback gigante, que atropela os adversários ao correr com a bola, Newton comandou o ataque nr.1 da liga em pontuação. Boas decisões com a bola e precisão nos passes, tornou-o o jogador mais perigoso da liga. Acima de tudo, ele contrariou todas as análises pré-campeonato. Antes da 1ª partida, quando seu principal alvo, Kevin Benjamin (WR), contundiu o joelho, ninguém via no ataque dos Panthers uma ameaça no jogo aéreo. Seu principal alvo é o Tight End Greg Olsen, que no passado era visto como apenas um recebedor, e hoje, completo, está presente em campo em quase 100% dos SNAPs. Completam a unidade jogadores no mínimo questionáveis, como o velocista inconsistente Ted Ginn Jr (WR), o veterano Jeremy Cotchery (WR), o ignorado Philly Brown (WR), e o errático calouro Devin Funchess (WR/TE). O  jogo de corridas é peça fundamental deste ataque. Jonathan Stewart (RB) sempre precisa lutar contra lesões, mas quando em campo, contribui decisivamente. Fozzy Whitaker (RB) recebe algumas oportunidades para o descanso do titular, enquanto o Fullback Mike Tolbert geralmente tem a bola nas mãos em situações de GOAL LINE. Claro que Newton é componente vital nesta equação com seus ZONE OPTIONS. Durante a temporada regular correu 636 jardas (média de 4.8 por tentativa) e anotou 10 TDs. Outra unidade bastante questionada na OFFSEASON também merece elogios nesta pós-temporada. Que trabalho a comissão técnica dos Panthers fez com a linha ofensiva! O único nome estabelecido é o Center Ryan Khalil. Junto com Trai Turner (RG), já uma estrela no seu 2º ano, e o ascendente Andrew Norwell (LG), formam hoje um dos melhores interiores de linha da NFL. Até o suspeito Michael Oher (LT), mais conhecido pelo filme BLIND SIDE que por boas atuações na liga profissional, mostrou valor desde que se juntou ao elenco dos Panthers.

 

Defesa

Vários defensores dos Panthers tiveram performances de destaque em 2015.

A unidade mais famosa é a de Linebackers, onde brilham Luke Kuechly e Thomas Davis. Ambos são instintivos e atléticos, fechando bem os GAPs e cobrindo zonas largas na cobertura defensiva. Aos poucos, o calouro Shaq Thompson está ganhando espaço e deve se tornar o 3º elemento. Davis quebrou o braço na final da NFC contra o Arizona Cardinals. Aparentemente a cirurgia de correção foi bem sucedida e o líder dos Panthers deverá estar em campo. A força da linha defensiva está no interior, onde Kawann Short (DT) e Star Lotulelei (DT) colocam pressão interna e são difíceis de serem bloqueados no jogo de corridas. O veterano Charles Johnson (DE) e Kony Ealy (DE), no seu 2º ano na liga, completam o lineup titular. Josh Norman (CB) esteve entre os melhores defensores do ano, além de envolvido em diversas controvérsias. Contusões complicaram a linha secundária, tirando de cena o veterano Charles Tillman (CB) e o ascendente Bené Benwikere (CB). Seus lugares foram ocupados por Cornerbacks contratados com o campeonato já em andamento: Robert McClain (ex Falcons) e e Courtland Finnegan (ex Dolphins, Rams e Titans). O veterano Roman Harper (S) e o resgatado Kurt Coleman (S) fizeram campeonatos bem acima da expectativa neste esquema de Carolina, onde as zonas de cobertura são bem definidas.


 

 

Especialistas

Graham Gano é um Kicker de reconhecida potência na perna. Teve aproveitamento razoável nos FIELD GOALS (85.3%). Em KICKOFFs é o melhor da liga com o menor percentual de chutes retornados pelos adversários. O Punter Brad Nortman é apenas experiente (NET 39.4 jardas). Ted Ginn Jr (WR) parece que se sente em casa em Carolina. Depois de um ano apagado no Arizona, retornou aos Panthers, e se não brilhou como retornador, pelo menos foi eficiente, com média de 10.7 jardas em Punts. Unidades de cobertura: 28ª da NFL contra KICKOFFs / 15ª da NFL contra PUNTs.  

Coaching

Como disse em várias ocasiões, sou fã do trabalho realizado por Ron Rivera (HC) à frente dos Panthers. Parabenizo a direção de Carolina por te-lo mantido no cargo, quando trocaram o GENERAL MANAGER, e os resultados ainda não tinham aparecido. Agora colhem os frutos, com uma equipe moldada privilegiando a fisicalidade. O bom ambiente se reflete em como veteranos foram absorvidos ao elenco e puderam revitalizar suas carreiras e emprestar a experiência no desenvolvimento dos mais jovens. Jogadores como Charles Tillman (CB), Roman Harper (S) e Jericho Crotchery (WR) eram vistos como acabados para a liga. Espantou-me não ver o nome dos 2 coordenadores serem mais disputados para cargos de HEAD COACH neste período de transição das equipes que dispensaram seus comandantes. Sean McDermott (coordenador defensivo) tem um esquema sólido em que gera pressão nos Quarterbacks adversários com ou sem BLITZES, e varia suas coberturas defensivas de acordo com as características dos oponentes. Mike Shula (coordenador ofensivo) deve ser creditado pelo trabalho com Cam Newton. Desde que assumiu o cargo, maximizou o talento do Quarterback, sempre com um plano de jogo inteligente.   https://youtu.be/wJS4tSYkyp4    

Comentar

Veja também: