Super Bowl 50 no Retrovisor

A última partida da temporada, trouxe muita emoção e a taça Vince Lombardi de volta a Denver. Algumas de minhas impressões:  

Caminho para o Título (Playoffs)

  Dono da melhor campanha na AFC (12 Vitórias / 4 derrotas), Denver rumou até o SUPER BOWL com dominação defensiva e turbulências no ataque. Primeiro bateram Pittsburgh num jogo travado, em que venceu quem menos errou. Era a volta de Peyton Manning (QB) ao time titular. Enferrujado, gerenciou bem a partida, contra um adversário afetado por contusões. Depois, encontraram os velhos conhecidos Patriots para mais uma versão do embate Brady x Manning, com final digno dessa história. A coroação veio contra o Carolina Panthers, equipe com a melhor campanha da NFL. Mais uma partida em que a defesa foi protagonista, gerando TURNOVERs e pressão intensa no MVP da temporada Cam Newton (QB - Panthers).  

O Jogo

A perspectiva da batalha defensiva prevista por todos se concretizou. Tivemos um embate fantástico de 2 das melhores defesas do campeonato, ambas levando vantagem sobre os ataques adversários.

Cam Newton (QB - Panthers) foi eleito no Sábado o MVP 2015, mas não conseguiu mostrar suas qualidades no placo maior da NFL. Talvez acuado pelo PASS RUSH inclemente dos Broncos, ou nervoso pelo peso nos ombros, estava errático e montou poucos DRIVES produtivos. Em seu 4º SUPER BOWL, Peyton Manning (QB - Broncos) nem de longe pareceu o craque dos tempos áureos, mas saiu de campo como herói. Se ambas as defesas foram brilhantes e os ataques inoperantes, então quais foram os diferenciais para formar o placar? Os fatores mais clássicos possíveis: TURNOVERs e Special Teams. Foram 3 fumbles e 1 interceptação concedidas pelos Panthers, contra 1 fumble e 1 interceptação, ambas por Manning, pelos Broncos. Em special teams, Graham Gano (K - Panthers) errou 1 tentaiva de FIELD GOAL, e Carolina cedeu para Jordan Norwood (PR), o maior retorno de Punt da história dos Super Bowls (61 jardas), além de não conseguir nada em retornos próprios. Para piorar a situação de Carolina, sua jogada mais temida, o OPTION, não estava funcionando bem, em especial quando Newton entregava a bola ao invés de correr. No meu vídeo Preview, um dos motivos que apostei nos Broncos é porque acreditava num melhor aproveitamento de Manning contra as zonas de cobertura dos Panthers, pois se assemelham muito às usadas pelos Colts na época que jogava em Indianapolis, e que conhece tão bem. Não aconteceu. O ataque aéreo dos Broncos se limitou a lances esporádicos.

  Até boa parte do 2º tempo, corríamos o risco de ver pela 1ª vez um time ser campeão sem anotar um único TD ofensivo, até que CJ Anderson (RB - Broncos) batalhou sua entrada na ENDZONE. O TD inicial de Denver veio em incrível jogada defensiva, na qual Von Miller (OLB) driblou seu bloqueador, e retirou a bola das mãos de Newton, que sobrou para Malik Jackson (DT) agarrá-la para a pontuação. De lado a lado, os recebedores mais perigosos de cada time pouco impactaram. Greg Olsen (TE - Panthers), vital no esquema ofensivo, teve apenas 4 passes completos em 7 TARGETs (41 jardas). Demaryius Thomas (WR - Broncos) apenas 1 passe em 6 TARGETs (8 jardas) e Owen Daniels (TE - Broncos) 1 passe em 2 TARGETs (18 jardas). O que nos leva aos destaques defensivos. Por Carolina brilharam Luke Kuechly (LB), Josh Norman (CB), Jared Allen (DE) e Kony Ealy (DE), todos com pelo menos 1 lance de impacto. Denver teve Von Miller (OLB), um monstro em campo. MVP da partida com uma performance histórica. Não foi o único a brilhar, muito bem acompanhado de DeMarcus Ware (DE), Malik Jackson (DT), Darian Stewart (S) e tantos outros.   Gosto de levantar os lances chave da partida que movem o pêndulo do placar. Separei um bom número deles e os listei abaixo por time.

Denver Broncos

  1. Passe incompleto (revisto) Jeremy Cotchery (WR - Panthers)
  2. Fumble forçado por Von Miller resultando em TD de Malik Jackson (DT)
  3. Punt Retornado 61 jardas por Jordan Norwood (WR)
  4. Fumble forçado de Darian Stewart (S) em Mike Tolbert (FB - Panthers)
  5. Corrida de 34 Jardas de CJ Anderson (RB)
  6. Erro de Graham Gano (K - Panthers) na tentativa de FIELD GOAL
  7. Danny Trevathan (LB) recupera fumble de TJ Ward (S) após interceptação
  8. Novo fumble forçado por Von Miller e recuperado por Ward

 

Carolina Panthers

  1. Sack de Luke Kuechly (ILB)
  2. Falta de Aquib Talib (CB - Broncos) anulando BIG PLAY defensivo
  3. Jared Allen (DE) defesa na GOAL LINE 
  4. Interceptação de Kony Ealy (DE)
  5. Ted Ginn (WR) 45 jardas após recepção
  6. Philly Brown (WR) salva interceptação
  7. Fumble de Peyton Manning (QB - Broncos) recuperado por Charles Johnson (DE)

Totalizando 7 para um lado e 8 para 8 mostra um equilibrio maior do que o placar reflete, porém Denver venceu com justiça. Parabéns a Manning, Gary Kubiak (HC), Wade Phillips (coordenador defensivo), John Elway (Presidente), Von Miller (MVP) & Cia. Veja os Highlights da partida: https://youtu.be/DR0qOk_pcyg  

Encerrar por Cima

A jornada 2015 de Peyton Manning teve fechamento com chave de ouro. Depois de início horroroso, contusões e questionamento sobre seu retorno à condição de titular, a recompensa veio numa eficiente campanha de PLAYOFFs e título do SUPER BOWL. Em campo contra os Panthers, Manning não teve números equivalentes aos seus dias de glória, mas não eram necessários. Bastava administrar as ações e evitar TURNOVERs para dar à defesa e special teams a chance de conquistar o troféu. Completou 13 de 23 tentativas de passes, avançando módicas 141 jardas e nenhum TD. Quase complicou a vida de sua equipe com uma interceptação e 1 fumble. Com o 2º título de campeão pode também encerrar a carreira da forma mais invejável que um atleta sonharia. Da mesma forma por exemplo, que o atual presidente dos Broncos John Elway (ex QB) o fez. Recentemente ainda tivemos os casos de Ray Lewis (ILB - Ravens), Michael Strahan (DE - Giants) e Jerome Bettis (RB - Steelers). Manning afirmou que deixaria a poeira baixar para anunciar sua decisão, mas todos os indícios apontam para a aposentadoria. Afinal, depois de tantas glórias e $$$ acumulados, por que arriscar mais o corpo e reputação numa nova aventura? Sorte nossa que tivemos o prazer de acompanhá-lo em campo desde 1998!  

Quanto Vale?

Alguns jogadores conseguem maximizar seu valor na hora certa de entrar como FREE AGENTs. Assim como Joe Flacco (QB - Ravens) poucos anos trás, Von Miller (OLB - Broncos) ganhou o prêmio de MVP do SUPER BOWL na véspera do mercado reabrir. Denver terá que abrir os cofres substancialmente ou aplicar a FRANCHISE TAG para ter os serviços de seu craque PASS RUSHER por mais 1 ano. Miller foi sem dúvida o jogador de maior destaque em campo. Atormentou Cam Newton (QB - Panthers) com 2.5 sacks (2 deles gerando FUMBLES), combateu com tenacidade o jogo de corridas, e ainda participou de zonas de cobertura defensiva incomuns para alguém de sua posição. Será fascinante acompanhar as negociações de contrato. Denver, talvez ressabiado por contusões e suspensões tenha demorado muito para buscar o acordo e agora precisará pagar caro. Qual seu valor $$$$ na liga? Alguns contratos servirão de referência. Por exemplo, Justin Houston, que atua em posição similar, renovou com os Chiefs por 6 anos num valor total de US$101 Milhões, sendo US$52.5 Milhões garantidos. O defensor melhor remunerado é Ndamukong Suh (DT - Dolphins) : 6 anos / US$114.37 Mi totais / US$60 Mi garantidos. Acredito que o acordo de Miller (se acertado) ficará em algum ponto entre estes 2 contratos. Veja seus Highlights da partida: https://youtu.be/cIthKet6sx0  

Hall of Fame

No sábado, antes do Super Bowl, acontece anualmente a eleição dos novos membros do NFL HALL OF FAME. Maior honra que um atleta do esporte pode alcançar. Dos 5 eleitos na era moderna, somente um no 1º ano de elegibilidade. Brett Favre foi o Quarterback mais adorado da década de 90. Dono de um estilo agressivo, usava seu braço potente para atormentar os Cornerbacks adversários. Engendrou lances memoráveis na carreira e inúmeros recordes da posição, talvez o mais impressionante seja a durabilidade: 297 partidas consecutivas como titular. Os demais 4 ex-jogadores da chamada era moderna já “lutavam” pela vaga no HALL há algum tempo. Kevin Greene (OLB) é o 3º defensor com maior número de sacks na história. Brilhou pela versão original do Los Angeles Rams, onde iniciou a carreira, e também por Steelers, 49ers e Panthers. Recentemente temos visto vários jogadores da linha ofensiva entrarem no HALL. Nada mais justo que Orlando Pace (OT), que defendeu o St Louis Rams na época do "Maior Show dos Gramados" entrasse no grupo. Na posição sempre bastante disputada para entrar no HALL, Marvin Harrison (ex Colts) ganhou a honra, deixando Terrell Owens (ex 49ers, Eagles, Cowboys e Bengals) na espera. Harrison foi o alvo predileto de Peyton Manning por muitos anos em Indianapolis, correndo rotas perfeitas e segurando bolas improváveis. Por fim, Tony Dungy foi um dos treinadores mais vitoriosos em partidas de temporada regular, pelos Buccaneers e Colts. Na sua gestão em Tampa, foi criado o sistema defensivo baseado em zonas de coberturas específicas batizado TAMPA-2. Abriu o caminho para diversos outros treinadores alcançarem o cargo de HEAD COACH na liga, vários deles afro-americanos como Dungy, o 1º a vencer o SUPER BOWL. Além deles, outras 3 personalidades foram eleitas. 1 Quarterback campeão de SB, 1 ex jogador de tempos mais antigos e 1 ex dono de time. Os 2 primeiros recentemente falecidos. Ken Stabler era Quarterback dos Raiders, que venceu o título e jogou verticalmente como mais tarde seria o convencional. Dick Stanfel foi Guard dos Redskins e Lions na década de 50, enquanto Eddie DeBartlo Jr foi o dono que possibilitou a dinastia dos 49ers liderada por Bill Walsh (HC) e Joe Montana (QB) acontecer.

 

Destaques da Semana

Ofensivo: CJ Anderson (RB – Broncos) Nem sempre a linha ofensiva de Denver conseguiu abrir espaço, mas Anderson não desistiu, conseguiu algumas BIG PLAYs e foi recompensado com o único TD ofensivo de seu time. Clique aqui para seus Highlights na partida. Menção honrosa: Emmanuel Sanders (WR – Broncos) e Peyton Manning (QB – Broncos)   Defensivo: Von Miller (OLB – Broncos) Talvez a maior performance defensiva que já vi num SUPER BOWL. Menção honrosa: Malik Jackson (DT – Broncos) e DeMarcus Ware (DE – Broncos)   Especialistas: Britton Colquitt (P – Broncos) + unidade de cobertura Limitaram Ted Ginn Jr (PR - Panthers) a apenas 2 jardas de retorno e sempre colocaram os Broncos em ótima posição de campo. Menção honrosa: Jordan Norwood (PR – Broncos) e Brandon McManus (K – Broncos)   Calouro da Semana: Shane Ray (OLB – Broncos) Wade Phillips (coordenador defensivo) usou Ray várias vezes no 1º tempo em situações claras de corrida dos Panthers. Vindo agora do College, está mais acostumado a defender o OPTION que Demarcus Ware (DE) e confundiu a leitura de Cam Newton (QB - Panthers).   Mico da Semana:  Teddy Williams (CB – Panthers) Num lance capital da partida, Williams achou que o retornador de Punts dos Broncos havia pedido FAIR CATCH e tirou o corpo, sem dar o TACKLE. Resultado: grande avanço no campo e subsequente pontuação. Clique aqui para o vídeo do lance.   Jogada Espetacular: Danny Trevathan (LB – Broncos) Salvou a pátria dos Broncos ao recuperar o fumble do colega TJ Ward (S). Clique aqui para o vídeo do lance.    

Comentar

Veja também: